Laziness at work

Não sei da precisão e veracidade dos dados, mas anyway  estas informações brincam com uma realidade que enfrentamos hoje: como estamos nos desconcentrando.

Acontece muito comigo  ligar o computador para trabalhar , mas antes dou um  log in no facebook para mandar uma mensagem para um amigo, aí encontro um evento no mural, fico em dúvida , dou um google, volto para o quê mesmo,. ah, o facebook , para quê mesmo, mandar uma mensagem, mando, aproveito vejo umas fotos novas do bebezinho da Ana, saio do Face e lembro que preciso postar , entro no wordpress e vou me perdendo  nos sites super interessantes. Nisso já se foi meia hora …

Por isso adorei o meu outro post “I WANT MY LIFE BACK”

Este quadro foi enviado pela amiga Ana Paula Gil

Ten technologies that should be extinct (but aren’t)

These obsolete technologies didn’t get the memo — maybe because someone wrote it on a typewriter and faxed it to them.

Got an urgent message you need to transmit immediately? Sending a telegram is likely not the first option that comes to mind. And when it’s time to boogie down, you probably don’t shove a cassette into your 8-track player.

Some technologies serve their purpose for a while, then either evolve into cheaper, faster, better forms or simply disappear. Yet others — such as fax machines, landline phones and instant cameras — just refuse to die, despite better digital alternatives.

Here are ten technologies that should be dead and buried, yet still cling to life.

Você sabe como é vitrola em Inglês ? Você concorda que a vitrola é uma tecnologia que deveria ser extinta ? Como ficaria a coleção de mais de 1000 bolachões do meu marido ?

Check the article

http://www.msnbc.msn.com/id/38141219/from/toolbar?Gt1=43001

Do you speak google?

A matéria de capa da Veja desta semana trata dos avanços extraordinários que o Google tem feito em seu tradutor e aponta , através de citações de especialistas em várias áreas , o futuro da comunicação entre diferentes povos . Causou-me perplexidade a afirmação de que a língua Inglesa será a última língua franca . Bem, a reportagem é 95% Google. Deixo aqui , então alguns questionamentos :
  • Estamos usando a tecnologia como ferramenta para desenvolver ou embotar habilidades humanas como comunicação e relações interpessoais ?
  • Que legado de educação deixamos para futuras gerações ? O estímulo a usar ferramentas ou a desenvolver o senso crítico e o espírito curioso por diferenças culturais ?

Li um belo ensaio do escritor- tradutor afegão-americano Tamar Ansari dizendo que jamais conseguiria traduzir em uma única palavra o termo farsi “qukh”, que significa a sensação na pele de ter a roupa úmida colada ao corpo e a sensibilidade que causa despreender a roupa da pele. Tudo bem que talvez isso não seja lá muito necessário ou prático. Mas será que o Google traduziria essa riqueza de linguagem ?